Meus dias de vampira

Crônicas com Café , , , , , , , 1 comentário em Meus dias de vampira

Porque, de vez em quando, dá vontade de ouvir música francesa, de óculos escuros, no meio da tarde, com cortinas fechadas. Começar com Bruni e finalizar com Brel. Sem dispensar o inglês do Paramore, sobrevoando florestas. Nem o baianês metálico...

Continue lendo

Crônica: Aos mortos de Ouro Preto

Crônicas com Café , , , , , , , , , , , , 2 comentários em Crônica: Aos mortos de Ouro Preto

Vejo o tempo passar à medida em que meus passos ladeira acima tornam-se mais lentos. Mesmo assim, saio pelas ruas de Ouro Preto em busca de um tema. Na Ponte dos Contos, alguns hippies vendem artesanato. Imediatamente estou nos anos...

Continue lendo

Não foi com medo de avião, crônica a Belchior

Crônicas com Café , , , , , , 13 comentários em Não foi com medo de avião, crônica a Belchior

Fico me perguntando: qual seria o primeiro nome de Belchior? Assim como este, outros enigmas rondam a vida do cantor. Talvez seja este o privilégio dos mitos: nascerem rodeados de mistérios e encantos. E assim permanecerem, envoltos em brumas, em...

Continue lendo