Mário Alves Coutinho lança “Um Corpo que Cai” inspirado pelo cinema de Hitchcock

Sem categoria , ,

Cinema são encontros. Encontros para além de uma sessão. Encontros que podem durar uma vida toda, e com todas as relações perigosas que lhes são intrínsecas.

E Um corpo que cai (Vertigo), de Alfred Hitchcock, vem proporcionando encontros desde que lançado em 1958. Encontros que já despertaram paixão e repulsa imediatas e tardias. E é sobre seus encontros com este filme, atravessados por outros de outras pessoas, que Mário Alves Coutinho fala neste livro.

Eleito em 2012 o melhor filme de todos os tempos pela Sight & Sound, Um corpo que cai recebe aqui uma leitura concisa e cerrada pelos olhos apurados de quem se encontrou (e ainda se encontra) por toda sua vida com esta obra-prima cinematográfica. Um olhar que só assim permite novos olhares interpretativos, mirando, por exemplo, o “fazer cinema” e o feminino que dela transbordam.

Sobre o autor:

Mário Alves Coutinho é mineiro, nascido em Campo Belo, graduado em psicologia, doutor em Literatura Comparada (Faculdade de Letras, UFMG), com pós-doutorado no Departamento de Comunicação Social da UFMG. Organizou e traduziu os livros: Tudo que vive é sagrado, poemas de William Blake e David Herbert Lawrence (tradução, seleção, introduções e notas; Crisálida, 2001 e 2010); Canções da inocência e da experiência, poemas de William Blake (tradução, introdução e notas aparceirada com Leonardo Gonçalves; Crisálida, 2005); O livro luminoso da vida, ensaios literários de David Herbert Lawrence (tradução, seleção, introdução e notas; Crisálida, 2010). Como crítico e ensaísta de cinema, publicou: Godard e a educação (organizador, junto com Ana Lucia Soutto Mayor; Autêntica, 2013); Godard, cinema, literatura (2013) e Escrever com a câmera: a literatura cinematográfica de Jean-Luc Godard (2010), ambos publicados pela Crisálida e premiados pelo Filme em Minas. Organizou também (juntamente com Paulo Augusto Gomes) o livro Presença do CEC: 50 anos de cinema em Belo Horizonte (Crisálida, 2001). Em 2015, lançou seu primeiro romance, A explosão e o suspiro ou um corpo que cai, pela Série Outras Grafias da Editora Tipografia Musical. E traduziu também Aforismos musicais, extraídos de sua correspondência completa, de Wolfgang Amadeus Mozart (Editora Tipografia Musical).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *