Saia da rotina: que tal provar uma cerveja mineira campeã?

É Top , , , , , , , , , , ,

Que Minas é celeiro de boas cervejas artesanais ninguém duvida. Não é à toa que o estado ganhou até o apelido de Bélgica Brasileira. E os bons frutos dos investimentos em insumos, tecnologia, mão-de-obra especializada e a criatividade típica de nossa cultura, estão sendo colhidos em formas de medalhas em concursos que reúnem marcas do mundo inteiro.

Vale a pena provar nossas mineirinhas campeãs, por isso, o site blimabracher.com fez aqui uma seleção das artesanais premiadas para você degustar:

– Inocência, da Krug Bier:

Minas Gerais brilhou nesta edição do concurso de cervejas do Festival Brasileiro e a Krug Bier faz parte desta grande conquista, com a medalha de prata na categoria Belgian Tripel para sua ‘Inocência’. Rótulo da linha Expressionista, a cerveja apresenta aroma completo de fenóis que remetem a cravo e canela e m fundo de frutas amarelas que proporcionam baixo amargor e alto drinkability. Possui 8,0% de teor alcoólico e 27 IBUs. Entre suas sugestões de harmonização estão risoto de brie com damasco, pato confitado e torta de frutas cítricas com merengue.

O Festival Brasileiro da Cerveja está sendo realizado em Blumenau de 07 a 10 de março e sediou o segundo maior concurso de cervejas do mundo em número de rótulos. Seu objetivo é elevar e promover a qualidade da cerveja brasileira e recebeu 2859 inscrições de 475 cervejarias de todo o Brasil. Os jurados selecionaram as melhores opções de 148 estilos diferentes e concederam medalhas de ouro, prata e bronze aos vencedores, além de selecionar as melhores cervejarias, cervejas comerciais e experimentais do ano. O resultado foi divulgado na noite dessa terça-feira (06/03).

Em 2017, a Krug Bier comemorou seu 20º aniversário. A empresa abriu as portas no bairro Belvedere, em Belo Horizonte, no ano de 1997, com receitas tradicionais austríacas e total respeito às leis de pureza da Baviera. Era a primeira cervejaria artesanal de Minas Gerais e apresentava um produto novo e ainda desconhecido pelo público.

Desde então, a cervejaria cresceu e se desenvolveu, mudou de endereço para o Jardim Canadá (Nova Lima) e também criou produtos diferenciados para os paladares mais exigentes como a linha Áustria (com sete rótulos), a linha Expressionista (agora também com sete rótulos) e a linha Rock (Skank Pilsen, Skank Altbier e Tianastácia – Golden Ale), além dos chopes. www.krug.com.br

– Prussia Pale Ale:

É Ouro para São Gonçalo do Rio Abaixo! A Prussia Bier foi a vencedora na categoria Extra Special Bitter com sua Prussia Pale Ale. Esta é a segunda conquista da cervejaria que possui três anos de vida. Em 2017, ganhou a medalha de bronze na Copa Cerveza de América com sua English India Pale Ale.

A ESB Pale Ale da Prussia Bier é uma cerveja escura, de coloração âmbar, colarinho cor de creme perolado, denso, cremoso e duradouro. É rica em maltes e lúpulos nobres, com notas medianas amadeiradas e caramelizadas. A Pale Ale harmoniza com canjiquinha com costela e bacon, tutu de feijão, frango ao molho pardo e doce de cidra (escolhidas por Fabiana Arreguy).

“Estamos muito felizes com o Ouro da nossa Pale Ale (Extra Special Bitter). Veio coroar o trabalho de toda equipe e nos motivar ainda mais na busca contínua pela qualidade e excelência nos nossos produtos. Foi realmente um dia muito especial para todos nós aqui”, declara Fernando Cota, cervejeiro e um dos sócios da cervejaria.

A Prussia Bier é a primeira cervejaria do Médio Piracicaba. Sua fábrica possui 300 metros quadrados e tem a capacidade de produzir até 28 mil litros por mês. Uma de suas inovações tecnológicas é possuir um sistema de reaproveitamento total de água, evitando desperdícios durante o processo de produção. A sua primeira brassagem data de 17 de novembro de 2014. O nome foi inspirado em uma região da Europa que abrangia diversos países cervejeiros em meados do século XIII.

A cervejaria atende diretamente demandas do Vale do Aço, Médio Piracicaba e grande BH, além de 100 pontos de venda terceirizados espalhados por Minas Gerais e Rio de Janeiro. Hoje, a Prussia produz seis diferentes rótulos: Pilsen, Bohemian, Weiss, English India Pale Ale, Pale Ale (ESB) e Irish Red Ale.

http://www.prussiabier.com.br/

-Cacau Bomb, da Backer (foto Gustavo Andrade):

A Backer faturou seis medalhas, sendo cinco de ouro e uma de prata, no VI Concurso Brasileiro de Cervejas no Festival Brasileiro da Cerveja em Blumenau. Mais uma participação consagrada da cervejaria mineira, que em 2017 já havia obtido sucesso com medalha de ouro, prata e bronze com três rótulos.

A medalha de ouro foi garantida para as cervejas: Medieval na categoria Belgian Style Blond Ale; Las Mafiosas Corleone na categoria Imperial Red Ale; Backer Cabral na categoria Britsh – Style Barley Wine Ale e Black IPA do Cerrado na categoria Brazilian Beer com ervas especiais. Já a de prata, para a Exterminador de Trigo, na categoria Herb and Spice Beer.

A  Cacau Bomb, foi o grande destaque, e garantiu um prêmio de segundo lugar na categoria The Best Of Show Experimental.

Segundo Paula Lebbos, diretora de marketing da Cervejaria Backer, ganhar tantos prêmios  importantes quanto estes, é a afirmação que a Backer está no caminho certo, investindo em qualidade: “Um orgulho para nossa família, que possui uma equipe tão qualificada que resulta sempre no reconhecimento dos formadores de opinião e no mercado.”, destaca a diretora de marketing da marca.

www.cervejariabacker.com.br

 

 

– DJango; Oroboro, Lick It Up; e Verace Pinsen, todas da Verace-

Puro sucesso! Em sua segunda participação no concurso, a cervejaria Verace arrebatou quatro medalhas de uma só vez em apenas um ano e meio de vida. A cervejaria já coleciona prêmios por seus maravilhosos rótulos e já conta com 12 medalhas em 12 meses. Suas campeãs são a Oroboro (ouro), Django (prata, em foto de Rosana Cristina Pereira), Lick It Up (prata) e Verace Pilsen (bronze).

Lançada em novembro de 2017, a medalha de ouro Oroboro é uma Belgian Dark Strong Ale de coloração marrom acastanhada, com intensas notas frutadas e condimentadas, mas com ótimo equilíbrio no aroma e sabor. É uma cerveja complexa e a primeira de guarda da Verace. Apresenta 9% de teor alcóolico e 19,3 de IBU e pode ser harmonizada, por exemplo, com queijos azuis ou sobremesas à base de chocolate. O nome Oroboro significa “constante evolução” e a cobra mordendo o próprio rabo no rótulo simboliza a eternidade.

Na categoria Experimental Beer, a Verace inovou e apresentou este ano sua Lick It UpIce Cream Pale Ale, que levou a medalha de prata. A cervejaria venceu o concurso ano passado, nesta mesma categoria, com a sua Uai So Serious? A Lick It Up é uma cerveja com base IPA que leva lactose e baunilha de Madagascar em sua receita, o que promove aroma e cremosidade que remetem ao sorvete de baunilha, por isso o nome. Extremamente refrescante é ideal para dias quentes, à beira da piscina.Possui 5,6% de teor alcoólico e 40 IBU.

A outra vencedora da medalha de prata é a Verace Django. Uma American Brown Ale, bem ao estilo do Velho Oeste segundo seus criadores, e que já foi premiada antes com o bronze no Brussels Beer Challenge 2017. Possui 31 IBUs, 5,8% de teor alcoólico e um delicioso e equilibrado aroma de café e chocolate amargo, com um leve toque de mel, excepcionalmente complementado pela presença marcante dos lúpulos americanos cítricos e frutados, o que lhe confere uma característica única e ousada.

A quarta medalha veio com a Verace Pilsen, uma cerveja extremamente leve e refrescante, de cor dourada brilhante e baixo teor alcoólico. Possui 4,5% de teor alcoólico e 13,8 IBU. O mestre cervejeiro da Verace, Túlio Silva, é só alegria com as novas vitórias. “Ganhar quatro medalhas no principal concurso de cervejas especiais do Brasil é, para nós, uma grande conquista! Com apenas um ano e meio no mercado, a Verace se consolida entre as melhores cervejarias do Brasil. Essas medalhas vêm coroar o trabalho que é desenvolvido com seriedade, dedicação e grande paixão pela nossa equipe e pelos nossos parceiros. Nós dedicamos essa premiação a todos que apreciam o mundo das cervejas especiais, em especial, aos mineiros, que fizeram muito bonito nesta edição do FBC”, enaltece.

A cervejaria abriu suas portas no Jardim Canadá em agosto de 2016, após um projeto detalhado e extremamente bem posicionado no mercado mineiro das cervejas artesanais. Após cursos, estudos, nasceu a Verace, que é uma palavra derivativa do Latim – VERA CERVISIAM, a Verdadeira Cerveja. Possui hoje capacidade de produção de até dois milhões de litros por ano e acaba de realizar sua segunda expansão, o que representou um crescimento de 83% em capacidade instalada de fermentadores.

Um dos grandes pilares da cervejaria é a alta tecnologia usada nos processos, que garante a qualidade dos produtos. Inclusive, o próprio Túlio Silva, que tem como formação principal engenharia mecânica, foi responsável direto para a fabricação e modificação dos projetos para garantir a capacidade técnica dos equipamentos possibilitando o desenvolvimento de produtos de alta qualidade.

http://www.cervejariaverace.com.br/

Com

#blimabracher

@blimabracher

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *