Imponente espaço cultural de BH é reaberto à visitação

É Top , , , , ,

Localizado na Avenida João Pinheiro, corredor de acesso à Praça da Liberdade, o Museu Mineiro funciona na antiga sede do Senado Mineiro e da Pagadoria Geral do Estado. Criado em 1982, integra o Circuito Liberdade, sendo gerido pela Secretaria de Estado de Cultura de Minas Gerais.

Como parte das comemorações dos 120 anos de BH, este imponente espaço foi reaberto à visitaçãoO secretário de Estado de Cultura, Ângelo Oswaldo (fotos de Omar Freire), presidiu a solenidade de reabertura da Sala de Sessões e da inauguração do novo circuito expositivo do Museu Mineiro e de abertura da mostra temporária “Belo Horizonte – 120 anos: Primeiros Registros”.  

Fechada há quase seis anos, a Sala das Sessões do Museu Mineiro reabre suas portas ao público com nova proposta expográfica de longa duração para sua coleção de mais de três mil peças, de variadas tipologias, datadas dos séculos XVIII ao XXI. A exposição evidencia obras de grandes artistas mineiros exibidas em quatro espaços intitulados Sala Jeanne Milde, Sala Honório Esteves, Gabinete e Sala das Sessões.

A Sala das Sessões teve suas pinturas parietais e forro restaurados, o piso de madeira recuperado e nova iluminação expositiva que destaca o acervo pictórico. Da coleção em exposição, destacam-se pinturas clássicas como as seis telas de Manuel da Costa Ataíde, o quadro A Má Noticia, de Belmiro de Almeida, telas de Aníbal Mattos e trabalhos de outros expoentes da pintura mineira acadêmica do início do século XX.

No hall de acesso às salas expositivas o público poderá admirar um conjunto de pinturas parietais, descoberto durante a restauração, sob seis camadas de tinta, provavelmente de autoria de Frederico Steckel, o mesmo artista que atuou no Palácio da Liberdade. São figuras aladas, folhas de acanto e outras ornamentações.

Obras de Honório Esteves (1869-1933), pintor ouro-pretano, encontram-se na entrada do 2º pavimento, com destaque para a tela O Pastor Egípcio, o retrato de Peter Lund e um belíssimo retrato de um jovem. À frente da sala Honório Esteves, uma pequena galeria exibe retratos de monarcas feitos em óleo, com imagens de Dom João VI, Dona Maria I, Pedro I, Pedro II e o Brasão da família imperial.

No primeiro pavimento, 0 público poderá apreciar, entre outras obras,  pinturas de artistas renomados no cenário cultural mineiro como Guignard, Amilcar de Castro, Márcio Sampaio, Mário Silésio, Érico de Paula, Maria Helena Andrés, Lótus Lobo, Yará Tupinambá, Aurélia Rubião e Inimá de Paula

Entre as novidades para o aniversário de Belo Horizonte, o Museu Mineiro, Arquivo Público Mineiro e Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico (Iepha) apresentam a mostra “Belo Horizonte – 120 anos: Primeiros Registros”, com mais de cem obras das três instituições, que ficará em exibição na Galeria de Exposição Temporária do Museu Mineiro e na Sala da Memória, dentro do Casarão. A exposição representa um panorama da trajetória inicial da cidade por meio de quadros, fotografias, documentos, plantas cadastrais e objetos, com destaque para uma tela retratando o engenheiro construtor Aarão Reis com o projeto original de BH nas mãos, e uma bonequinha de biscuit que pertenceu à menina Alice, uma das que participaram do primeiro sorteio de lotes da nova capital.

O Secretário de Cultura, Ângelo Osvaldo participa no Museu Mineiro da reabertura da Sala das Sessões, que recebe novas exposições permanentes e temporárias em comemoração aos 120 anos de Belo Horizonte.
Data: 19/12/17
Local: Museu Mineiro
Foto: Omar Freire/Imprensa MG

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *