Dez razões gastronômicas para conhecer BH, por Sílvia Laporte

É Top , , , , , , ,

Nossa anfitriã em Belo Horizonte, para indicar um belo roteiro gastronômico é Sílvia Laporte. Jornalista, ela trabalhou com gastronomia durante quase 15 anos no jornal Estado de Minas: primeiro no Caderno Feminino (com o pseudônimo Manuel d’Almada) e depois no Degusta. Atualmente, se dedica à Sílvia Laporte Comunicação, atuando na edição de livros.

Alguém duvida de que ela sabe do que está falando? Vamos lá, então:

Mercearia 130 – A unidade de Lourdes (há outra, na Serra) tem ambiente descontraído e preços justos. O bife ancho, com guarnição à escolha (risoto, batata no murro, legumes) tem o tamanho certo para uma pessoa de apetite normal.

Glouton – O restaurante, que fica no Bairro Lourdes, tem carta de vinhos enxuta, mas com boas opções. Os pintxos de polvo e a bochecha de porco são ótimos. Bom custo-benefício.

Pecatore – Peixes e frutos do mar são a especialidade da casa situada na Floresta, logo depois do Viaduto Santa Teresa (sentido bairro). O ceviche, fresquinho, é muito bom.

Amarelinho da Prudente – Situado na Av. Prudente de Morais, na divisa do Santo Antônio com a Cidade Jardim, é um bom lugar para a turma se encontrar no happy hour ou no almoço de domingo. Cervejas especiais e uma excelente farofa de ovos.

Xoc Xoc – Para quem se cansou de self-services, o bar restaurante do Edifício Maletta serve um PF muito bom, com feijão temperadinho e batata frita fresquinha.

Lullo Gelato – Ponto de parada obrigatório para quem bate pernas na Savassi, especialmente no verão. Fica no quarteirão fechado da Rua Antônio de Albuquerque, entre a praça e a Rua Alagoas, mas só abre ao meio-dia. Meu sorvete favorito é o de caramelo com flor de sal.

Est! Est!! Est!!! Autentica Cucina Italiana – A casa, quem fica na Av. Getúlio Vargas, cumpre o que promete no nome. Exemplo disso é o espaguete à carbonara, cuja receita, ao contrário do que se vê em muitos bons restaurantes por aí, não leva creme de leite.

Padaria Cataguazes – Fica no Santo Antônio e tem muita coisa gostosa. O pão de sal é bom e as guloseimas ainda melhores. Destaque para o financier e o bolo de ricota.

Fazendinha – O restaurante, situado no Bairro Jaraguá, fica lotado de famílias no almoço de domingo. O custo-benefício é bom, porque as porções são de bom tamanho e dois pratos servem três pessoas tranquilamente. O galeto vem sempre suculento e temperadinho.

Empório Vila Árabe – A unidade do BH Shopping da rede de restaurantes tem sempre boas saladas com ingredientes típicos como grão-de-bico e queijo chancliche, entre outros. A cebola frita do arroz com lentilhas é farta e sequinha.

3 thoughts on “Dez razões gastronômicas para conhecer BH, por Sílvia Laporte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *