Houve um Tempo: minha homenagem à Tropicália

Crônicas com Café , , , , ,

Houve um tempo

Em que existir bastava
E os egos eram coletivos
Os saltos baixos
As ladeiras planas
Os sorrisos tortos
As tardes longas
O brilho fosco
E as ruas largas
E apenas existir bastava
Houve um tempo
De vizinhos amiúde
De Castelos sólidos
E menos perfume
Direi deste tempo
Pois só ele diz de mim

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *