Quando a Voz se transfigura em Cores

Crônicas com Café , , , , , , 0 Comment on Quando a Voz se transfigura em Cores

Em vista a Belo Horizonte, o pintor mineiro Carlos Bracher fez retrato do tenor italiano Cristian Lanza, e a ele dedicou o texto: NAS ASAS ONÍRICAS DA ARTE, por Carlos Bracher  Vem de Nápoles das mais lindas vozes masculinas: Mário...

Continue lendo

Homenagem de Carlos Bracher aos mineiros nos 120 anos de BH

Crônicas com Café , , , , 1 comentário em Homenagem de Carlos Bracher aos mineiros nos 120 anos de BH

Profusão barroca, por Carlos Bracher Na telúrica promessa de nossos passos indevassados de enigmas, somos barrocos em espírito e matéria, nos gestos de fragilidade desse desejo franco de transpor, sagrar e ressurgir, refluir o pensamento nas hastes da sabedoria, a...

Continue lendo

Meus dias de vampira

Crônicas com Café , , , , , , , 1 comentário em Meus dias de vampira

Porque, de vez em quando, dá vontade de ouvir música francesa, de óculos escuros, no meio da tarde, com cortinas fechadas. Começar com Bruni e finalizar com Brel. Sem dispensar o inglês do Paramore, sobrevoando florestas. Nem o baianês metálico...

Continue lendo

Você passeia de Rolls-Royce no meu coração

Crônicas com Café , , , , 9 comentários em Você passeia de Rolls-Royce no meu coração

“_ Blima, Blima, Blima. Você passeia de Rolls-Royce no meu coração!”, dizia Tio Décio quanto eu ia visitá-los no Castelinho. E continuava: “_ Você é o alfinete da minha fralda”. Bem se vê que ele já passara dos 70 e...

Continue lendo

Ao mestre Lorenzato, com meu rosto debulhado em lágrimas

Crônicas com Café , , , , , , 0 Comment on Ao mestre Lorenzato, com meu rosto debulhado em lágrimas

Nunca vou me esquecer do dia em que conheci o velho Lorenzato. Eu ainda menina, fui visitá-lo numa casinha linda, num descampado, cercada por varais, onde uma escultura , em tamanho, natural, representava sua falecida esposa, cuidando dos afazeres domésticos....

Continue lendo