Não foi com medo de avião, crônica a Belchior

Crônicas com Café , , , , , , 13 comentários em Não foi com medo de avião, crônica a Belchior

Fico me perguntando: qual seria o primeiro nome de Belchior? Assim como este, outros enigmas rondam a vida do cantor. Talvez seja este o privilégio dos mitos: nascerem rodeados de mistérios e encantos. E assim permanecerem, envoltos em brumas, em...

Continue lendo

Somos românticos, antes de tudo: crônica aos jornalistas

Crônicas com Café , , , 0 Comment on Somos românticos, antes de tudo: crônica aos jornalistas

Com seus óculos grossos de acetato preto. Pela fumaça acesa em seus cinzeiros, a velha máquina e os plantões mantidos. As noites longas e o café pequeno. Porões cheios, redações vazias. Idos 70 de torturas tantas. A voz ecoa mesmo...

Continue lendo

Dois distraídos na Europa

Crônicas com Café , , , , , , , , , 6 comentários em Dois distraídos na Europa

Embarcamos eu e papai, rumo à Europa. Destino? Alemanha. Apesar de nossas raízes germânicas, não falamos nada do rascante e belo idioma. Chegando em Frankfurt, o motorista da embaixada nos esperava. “Seu” Paulo, um baiano arretado que fazia domingueiras de...

Continue lendo

Que os anjos profanos me ergam ladeira acima

Crônicas com Café , , , , , , , , , , , 3 comentários em Que os anjos profanos me ergam ladeira acima

Que todos os santos e anjos do Carnaval me ergam. Que venham asas sobre as ruas de pedras, as ladeiras caídas e os anjos caídos da cachaça. Que venham Benés, Karans, Pés de Rodo. Que chispem o chão os capetinhas...

Continue lendo

As lições de meu bom pai

Crônicas com Café , , , , , 5 comentários em As lições de meu bom pai

Papai nos ensina grandes lições em pequenos gestos. Sempre sorrindo, é desses abençoados, que gargalham sozinhos no banho. Acho isso o máximo, pois o riso não me é mais fácil, como naqueles tempos de adolescente em que ríamos de tudo...

Continue lendo

Amor Vagabundo

Crônicas com Café , , , , , , , , , , 6 comentários em Amor Vagabundo

Tenho um amor a cada esquina. Alguns me olham com jeito pidão de “me leva pra casa”. Outros apenas me olham de lado e dão a impressão de sorrir. Saem altivos, com o peso do mundo nas costas e a...

Continue lendo